vestígios

Prometi sempre estar ao seu lado. E estive. Nos momentos em que tudo parecia desabar, eu estava lá. Quando as coisas se complicaram e você dizia se sentir só, eu era presente.

Minha intenção nunca foi te deixar. Eu estava disposto a enfrentar qualquer circunstância para ter você comigo. Te deixar nunca foi minha opção.

Hoje tudo que eu queria era poder matar essa saudade que me corrói. Tudo que faço, penso, sinto, vejo ou ouço me lembra você. E tento mentalizar que preciso me desapegar dessas lembraças, da sua sombra.

Sei que muito provavelmente você já esteja bem. Talvez não sinta mais a falta que eu sinto. Sei que já seguiu em frente de alguma forma e vejo que a insegurança em continuar era quando envolvia a mim. E tudo bem, todo mundo um dia é colocado de lado, e comigo não foi diferente.

Só esperava um amor mais transparente. Só queria ter tido a oportunidade de saber mais do que apenas um “eu não sei”. Eu não merecia ser tratado daquela forma que você me tratou na última vez que nos falamos. Eu fui, realmente, sincero. Você faz falta.

Não queria estar passando por tudo isso, nesse momento tão delicado e tendo que lidar com a perda de alguém que eu esperei que permanecesse para sempre. Não vou fingir que está tudo bem. Passe o tempo que for, não vou mentir para mim mesmo. Não queria procurar noutros lugares algo que só encontrei em você. E sei que por mais que você tente, eu fui único da mesma forma.

“eu não consigo e não quero acreditar que a gente acabou aqui, sabe? (…) Acho que vai ser menos doloroso pensar que isso é temporário.”

 

Esses últimos dias estão sendo bem complicados. Ainda estou aprendendo a conviver com isso…

Tudo que eu queria era uma faísca… Nenhuma distância seria tão grande, nenhum rio profundo demais que eu não conseguisse atravesar. Sempre tentei ser seu abrigo, seu porto de segurança. Sempre te amei, pois seu amor era minha verdade.

 

 

Mas vai ficar tudo bem. Toda história tem suas cicatrizes.

ainda te amo

Ainda tenho suas cartas guardadas, os presentes que você me deu, o desenho que você fez e seus itens pessoais de colecionador que a mim foram confiados.

Ainda tenho meus pensamentos ligados a você dia após dia. As noites já não são mais as mesmas. Ainda sinto seu cheiro na roupa não lavada que usei quando te encontrei pela última vez.

Ainda lembro das suas manias bestas, da sua forma de arrumar o cabelo, da sua maneira de falar carinhosamente gesticulando com as mãos como quem tenta explicar algo complicado.

O tom da sua voz ainda ecoa por aqui, nos áudios que você me enviou, nas cartas que leio, nas últimas frases que trocamos por whatsapp…

O tempo vai ser cruel daqui pra frente. Talvez os dias continuem demorando a passar e a vida se torne um pouco menos estimulante. O vazio que você deixou, apenas você era capaz de preencher. Apenas seu abraço seria suficiente nesse instante.

Eu falei sério quando disse que queria você aqui para sempre dividindo sua caminhada comigo. Infelizmente a vida decidiu guiar-nos por caminhos diferentes, trajetos inesperados que custaram nosso nós.

Espero que tudo isso te faça bem.

Ainda tenho a sensação que posso pegar o telefone e te ver do outro lado, que vou entrar no carro para ir ao seu encontro e nossa noite será tranquila com aquele lanche daquele shopping que sempre pedíamos… e aquilo era tão sua cara.

A realidade é que ainda te amo. Ainda te enxergo em cada detalhe do dia a dia. Espero conseguir canalizar tudo isso para algum lugar que me machuque menos. Espero não levar a mesma quantidade de tempo que vivi ao seu lado, para te esquecer.

Mas a realidade é que ainda te amo. E muito.

Ainda.

desaparecendo

E se eu tivesse implorado para você ficar? Esquecer todos os impedimentos, deixar a noite de lado… isso mudaria algo? Hoje estaríamos diferentes?

Não adianta. Não importa quantas vezes eu peça. Você está cega demais, talvez um pouco longe demais para ouvir minha voz e entender que tudo que eu preciso é você. Ninguém mais.

Consigo ouvir seus passos, as batidas do seu coração e o barulho das suas lágrimas. Você não quer partir. E mais uma vez eu te sinto aqui, sinto sua mão tocando a minha e de repente eu te perco. Você se vai. Desaparece mais uma vez.

Não quero mais mentir para mim mesmo, me olhar no espelho e viver uma ilusão de que tudo isso é passageiro e outra vez você estaria me esperando no mesmo lugar, me alcançando com as mesmas palavras e tudo estaria como sempre. Mas você desaparece.

Você lutou tanto, superou tantas coisas, deixou tanta coisa de lado. E quando tudo se alinha, esse amor me atinge e sinto meu coração transbordar, você desaparece. Como se nunca tivesse existido.

Tão intocável, tão intangível… tão sua forma de amar.

a arte de deixar ir

Chega uma época da sua vida que desapegar se torna uma tarefa necessária e indolor. O tempo se encarrega de trazer consigo a maturidade necessária para nos fazer entender a diferença entre o que fazemos para ficar bem e o que fazemos para deixar os outros bem. Engraçado como o tempo muda, as pessoas se vão e nós nos tornamos cada vez mais fortes. De repente a necessidade de ser feliz fala tão alto que nada mais importa. Nada mais faz diferença e quem não acrescenta, simplesmente, precisa sair.

nós somos

Você disse que nunca me esqueceria. Que estaria ao meu lado em todos os momentos da minha vida, que nunca me abandonaria. Mas e agora? Até que ponto a relatividade da sua concepção de “eterno” pode chegar?

Às vezes me pego andando em círculos, esperando só um convite para que tudo isso se acabe e eu vá em sua direção. Eu sei, eu sei, provavelmente isso nunca mais aconteça.

Nós dois caímos juntos e falhamos em fazer durar para sempre. As estrelas cadentes nas quais direcionávamos nossos pedidos, eram apenas aviões.

Não existe um lado bom em dizer adeus. É errado esconder a dor por trás de tantos sorrisos irreais e vazios. Chega de se camuflar por trás de toda essa capa de egoísmo que te torna tão inalcançável.

Preciso de você agora. Me diz, me diz aí que você me ama. Eu quero te amar por quem você é e não pelo que tem a me oferecer.

Continuo andando em círculos tentando descobrir se você ainda, realmente, me ama. Nós não prometemos um ao outro? Não fizemos juramentos que daríamos tudo um ao outro? Eu não te dei tudo?

Me beije. Só mais uma vez, e a ultima vez. E só mais uma última. E de novo.

 

Nós dois somos uma pintura perfeita, dentro de uma moldura quebrada.

como um caso perdido

Chega a ser engraçado a quantidade de vezes em que eu me permiti viver algumas situações sabendo que iria sofrer. É algo que não sei como explicar, eu só queria que tudo fosse diferente, mas mais uma vez eu me decepciono com o desenrolar da história.

Queria poder te abraçar, te beijar, te tocar… eu sinto sua falta. Sinto falta de sentir meu coração pulsando todas as vezes em que está chegando a hora de te ver. Sinto falta daquele frio na barriga quando estou te beijando. Falta das vezes que você conseguia, apenas com poucas palavras, acalmar meu coração.

Não há nada que eu possa fazer. Eu só queria estar te odiando nesse momento. Tudo isso é como um caso perdido e eu tenho que ir tentando aprender a lidar com essas mudanças emocionais.

É tão difícil ter que dizer adeus. Tão difícil ter que ouvir tudo isso saindo da sua boca e perceber que por mais que eu queira, nós nunca fomos feito um para o outro.
E eu não sei o que seria pior, nunca ter cruzado seu caminho e perder a oportunidade de sentir coisas inexplicáveis ao seu lado; ou cruzar o seu caminho, perceber o quão bem você me faz, mas ter que deixar tudo isso pra trás e me despedir de você por todo o sempre.

Você tem noção da quantidade de vezes que eu pensei em você só hoje?