Sem categoria · Vida

porque amor…

Hoje você acordou tão linda. Foi incrível abrir meus olhos, sentir o calor do seu corpo, ouvir sua respiração e ver seus olhos brilhando, acompanhados de um lindo sorriso. Ali, nós dois, naquele silêncio, sem que nenhuma palavra coubesse no momento. Não havia espaço para nada. Qualquer palavra seria capaz de estragar aquilo.

Cada traço do seu rosto parece que foi desenhado à mão, esculpido na mais nobre pedra e dimensionado para que pudesse ser, exatamente, da forma que me encanta. O defeito que no lado esquerdo do seu rosto, que você insiste que existe, sabe, até ele é lindo. Você é perfeita. Seus olhos escuros, seu sorriso marcante e sua voz doce. Como me esquecer das canções que você canta quando está feliz, ou quando se arruma.

É incrível acordar ao seu lado. É incrível ouvir sua voz antes de dormir, sentir seu abraço e, ao amanhecer, você ser a primeira pessoa que vejo.

E amor… pode passar o tempo que for, eu quero que tudo seja assim. Podemos não estar juntos daqui um ano, quem sabe, mas quero que cada momento que estamos vivendo seja guardado e eternizado dentro do nosso coração.

Eu quero ser sua força. Quero dar a você esperança. E amor, não precisa me chamar. Eu estarei aqui o tempo todo. Quero ter você em meus braços, te guardar no lugar que você pertence.

Sem você ao meu lado, sem sua voz chamando meu nome, eu juro, não seria nada sem você. Porque amor… somos nós, lembra? Não apenas eu… não apenas você… sabe… nós?

pra pensar · Sem categoria · um trecho

seja você

[…]
Não há nada de errado em ser diferente. Não há nada de errado em ser você mesmo.

Quem disse que você precisa se encaixar em algum padrão? Quem define o padrão?
Pare de tentar ser feliz às custas de normas impostas. Tape seus ouvidos para comentários que vão te enfraquecer. Acredite na sua força, levante-se, erga sua cabeça e continue se apoiando em sua fé. Não tenha vergonha de quem você é. Afinal, ser você mesmo será sua maior vitória.
[…]
Você precisa se orgulhar de quem você é.

Sem categoria · Vida

nós somos

Você disse que nunca me esqueceria. Que estaria ao meu lado em todos os momentos da minha vida, que nunca me abandonaria. Mas e agora? Até que ponto a relatividade da sua concepção de “eterno” pode chegar?

Às vezes me pego andando em círculos, esperando só um convite para que tudo isso se acabe e eu vá em sua direção. Eu sei, eu sei, provavelmente isso nunca mais aconteça.

Nós dois caímos juntos e falhamos em fazer durar para sempre. As estrelas cadentes nas quais direcionávamos nossos pedidos, eram apenas aviões.

Não existe um lado bom em dizer adeus. É errado esconder a dor por trás de tantos sorrisos irreais e vazios. Chega de se camuflar por trás de toda essa capa de egoísmo que te torna tão inalcançável.

Preciso de você agora. Me diz, me diz aí que você me ama. Eu quero te amar por quem você é e não pelo que tem a me oferecer.

Continuo andando em círculos tentando descobrir se você ainda, realmente, me ama. Nós não prometemos um ao outro? Não fizemos juramentos que daríamos tudo um ao outro? Eu não te dei tudo?

Me beije. Só mais uma vez, e a ultima vez. E só mais uma última. E de novo.

 

Nós dois somos uma pintura perfeita, dentro de uma moldura quebrada.

Sem categoria

faltou você

Desculpa chegar novamente assim do nada, mas eu precisava vim aqui te dizer umas coisas antes de eu voltar para casa. Passei o dia pensando nisso e hoje, o que eu mais queria era poder te encher de beijo, te levar para assistir filme comigo, ir para a beira do lago jogar conversa fora e voltar cantando no carro com você.

Me perdoe por não ter sido suficiente. Por não ter segurado sua mão em todos os momentos que você precisava de mim. Me perdoe por estar ocupado demais e não ter tempo de te deixar várias mensagens por dia, contando todas as coisas que me lembravam você. Me perdoe por não ter levado seus “dramas” a sério.

Sim. Sou um completo imbecil.

Mas amor, eu sinto que você ainda me ama depois desse tempo. Sinto isso de uma maneira inexplicável, mesmo não tendo mais notícias suas. Talvez seja meu coração egoísta ainda insistindo em provar a mim mesmo o quão babaca eu sou. Não sei.

Só vim aqui te dizer que hoje, nessa noite fria, me arrumei, entrei no carro, fui ver um filme e aqui estou eu, na beira do lago, sozinho, pensando em você. Olhando para as águas balançando e imaginando todas as gargalhadas nossas que a lua já presenciou. Cada beijo molhado que você me deu aqui, nesse mesmo lugar. As estrelas torciam por nós, a sua voz contagiava o ambiente… tudo se tornava tão mágico com a sua presença.
E hoje é muito estranho estar aqui sozinho, de pernas cruzadas, com o celular na mão escrevendo isso e torcendo para a notificação do whatsapp descer do topo da tela e eu ver a “Minha linda <3” falando comigo. Porque é assim que seu nome está gravado aqui na minha agenda até hoje. Ainda não fui forte o suficiente para colocar, de fato, seu nome ou simplesmente te excluir daqui.

E mais uma vez a coragem de te ligar se esvai e eu não consigo imaginar qual seria minha reação ao ouvir sua voz do outro lado da linha, me tratando agora não como seu namorado, mas como seu ex, um estranho. Afinal, é isso que sou agora para você.

Mas ainda assim eu gostaria que você estivesse aqui sob o luar comigo, eu juro, eu daria tudo de mim para te ter essa noite aqui do meu lado, sentindo seu cheiro, seu rosto colado no meu, suas mãos entrelaçadas nas minhas e só nós dois… só a gente, como sempre foi.
Hoje a solidão está me consumindo e às vezes eu sinto que é um erro ainda amar você, mas acho que essa noite meu coração não vai me deixar agir corretamente. Sinto que não consigo sobreviver sem você.

Eu simplesmente não consigo parar de cantar nossa canção. Mesmo sabendo que preciso seguir em frente, levantar daqui e voltar para a realidade, onde tudo o que me resta é tentar me desapegar o mais rápido possível ou até quando ainda houver equilíbrio em mim.

Não sei como você está essa noite. Eu só queria dizer que hoje vim ter um encontro contigo.

Só faltou você.

pra pensar · Sem categoria · Vida

aprendendo

Esse tem sido um ano diferente em todos os aspectos. Diferente porque tive que abrir mão verdadeiramente de pessoas, de coisas e de algumas escolhas. Tive que voltar atrás em algumas decisões e deixar outras esperando até que chegasse a hora certa de eu tomá-las.

Me conhecer tem sido uma das tarefas mais árduas que tento realizar. Há algum tempo venho exercitando isso e percebo o quão complexo são meus sentimentos. Coisas que eu pensava que não me atingiriam, me atingem. Pessoas que eu achava que não tinham a mínima importância na minha vida, têm. Problemas que eu pensava que jamais se resolveriam, acabaram se resolvendo (ou se encaminhando para isso rs).

Tudo nessa vida é uma questão de: o quanto estamos dispostos a lutar. O quanto algo merece nosso empenho, até que nos tornemos fortes o suficiente para enfrentar qualquer barra.

Aprendi que julgamentos não precisam existir – ao menos da minha parte. Aprendi que todos nós estamos tentando da forma que a gente sabe. Errando, acertando… não importa. Está todo mundo no mesmo barco e nada que eu fizer me tornará mais merecedor que qualquer outra pessoa.

Aprendi que meus problemas nem sempre são banais ou menos importantes. Aprendi que nenhuma tristeza vem do nada, tudo tem um precedente, e cabe a mim buscar entender minhas tristezas e lágrimas repentinas. Ninguém é capaz de medir meu esforço, ninguém é capaz de banalizar meus medos, de julgar minha luta ou entender meus medos.

Aprendi a amar. A me amar. Independentemente dos meus erros – que talvez sejam irreparáveis – ainda estou aqui, lutando para que tudo se conserte e eu consiga finalmente estar em paz comigo mesmo.

Sem categoria

daquela saudade

Hoje me pego pensando em quantas vezes tive você ao meu lado, mas ocupado demais com minha vida, acabei me esquecendo de dizer o quanto você ficava linda naquela roupa ou com aquele penteado.
Quando menos espero estou lembrando das vezes em que eu sonhava planos com você e seu abraço aquecia meu coração. Aquele cheirinho de roupa limpa, aquele perfume suave, aquela música que ficava no repeat e já marcou tantos encontros e tantas felicidades nossas… Ah meu amor…
A saudade a cada dia fica mais insuportável. Eu moveria o mundo para tê-la mais uma noite comigo. Daria tudo de mim para ter seu corpo junto ao meu, nem que fosse só por hoje.

Doce amor, como eu pude ser tão tolo ao ponto de dizer ‘adeus’ quando o que eu mais queria era te pedir para ficar ao meu lado para sempre, eu deveria ter te agarrado, te apertado e não deixado você ir. Eu fui estúpido, eu fui burro.
A casa está tão fria, o espelho já não reflete a mesma expressão, já não corro para atender uma ligação com a mesma vontade, já não ouço mais aquela canção que me lembra você…

Só espero que você esteja bem. E se a saudade continuar torturando, desculpa, mas vou ligar de madrugada.

Vida

como um caso perdido

Chega a ser engraçado a quantidade de vezes em que eu me permiti viver algumas situações sabendo que iria sofrer. É algo que não sei como explicar, eu só queria que tudo fosse diferente, mas mais uma vez eu me decepciono com o desenrolar da história.

Queria poder te abraçar, te beijar, te tocar… eu sinto sua falta. Sinto falta de sentir meu coração pulsando todas as vezes em que está chegando a hora de te ver. Sinto falta daquele frio na barriga quando estou te beijando. Falta das vezes que você conseguia, apenas com poucas palavras, acalmar meu coração.

Não há nada que eu possa fazer. Eu só queria estar te odiando nesse momento. Tudo isso é como um caso perdido e eu tenho que ir tentando aprender a lidar com essas mudanças emocionais.

É tão difícil ter que dizer adeus. Tão difícil ter que ouvir tudo isso saindo da sua boca e perceber que por mais que eu queira, nós nunca fomos feito um para o outro.
E eu não sei o que seria pior, nunca ter cruzado seu caminho e perder a oportunidade de sentir coisas inexplicáveis ao seu lado; ou cruzar o seu caminho, perceber o quão bem você me faz, mas ter que deixar tudo isso pra trás e me despedir de você por todo o sempre.

Você tem noção da quantidade de vezes que eu pensei em você só hoje?