casinha

Dia de chuva, grama brilhando, cheiro de terra molhada, brisa fria, céu nublado… Hoje o dia amanheceu frio, as portas e janelas permaneceram fechadas. Dá pra ouvir o vento passando pelo telhado, as árvores acompanham o ritmo do vento. Um típico dia chuvoso e despretensioso.

Estou indo em direção àquela casinha antiga, feita de madeira, com telhado escuro e janelas pequenas. Fica logo atrás das colinas, lugar onde eu costumava ir para ver o sol se por, ouvir música, ler um livro, cantarolar minhas músicas preferidas… Sinto como se a caminhada fosse um pouco mais longa do que costumava ser, tudo parece ter mudado e milhares de lembranças vêm a minha mente… Como será que ela está? Qual será a sensação de estar entrando nela depois desse tempo todo? Será que a chave ainda abre aquela fechadura? Aquele tapete ainda fica na porta de entrada?

A caminhada está quase acabando e o frio começa a querer me impedir de continuar, quase que de forma proposital. Me embrulho um pouco mais no casaco, coloco as mãos nos bolsos e continuo andando. Já estava quase anoitecendo e, de longe, consigo avistar aquela casinha. Meu pequeno refúgio de alguns poucos metros quadrados onde eu costumava me esconder do mundo e achar que nada poderia me alcançar desde que eu estivesse ali dentro. Tanto tempo, tantas chuvas e ela ainda continua ali, de pé.

Por um momento fecho os olhos e consigo imaginá-la toda arrumada, os vidros embaçados com gotas d’água escorrendo pela janela, cobertor macio, chocolate quente, meias nos pés e minha música preferida tocando no quarto.

Hoje parece estar tão vazia, bagunçada e atacada pelo tempo. Aquela reforma planejada – que já foi escrita por aqui –  ficou pela metade, tive que me mudar depressa. Deixei tudo como estava, fechei a porta e segui em frente, sabendo que não deveria voltar ali nunca mais. E eu não sei… na verdade, nós não sabemos. As coisas foram simplesmente acontecendo e de repente a vida foi tomando novos rumos. Lembro-me quantas vezes olhei pelo olho mágico desse antigo lugar, na ânsia de que o hiato tivesse findado e eu pudesse ficar ali pra sempre. Afinal, aqueles consertos eram para receber quem nunca voltaria.

Sabe, acho que mudar faz bem. Muitas vezes nos condicionamos a estar no mesmo lugar de sempre, aquele que nos remete ao passado e quando menos esperamos estamos vivendo dentro dele. Aprisionados por sombras e representações de tudo que foi bom um dia. Vale a pena juntar as coisas, arrumar as malas, ir para o outro lado das colinas e perceber que há um outro abrigo aconchegante junto à lareira, com cobertas quentinhas, móveis novos, uma vista diferente da janela e um novo endereço. Essa casa não tem olho mágico e finalmente tudo que preciso está dentro dela. Sinto paz, mesmo sabendo que chove lá fora.

Promete que vai ficar?

O fogo estará aqui para acalmar nosso coração, iluminar a noite, nos aquecer e trazer paz. Amo estar nesse lugar, mas desse lado tudo é assombrado sem você.

i.s.i.l.

Já prometi tantas vezes a mim mesmo não me machucar novamente, em blindar esse coração, e de repente você me aparece, muda tudo e eu fico sem entender nada que está acontecendo. Uma bagunça tão boa e tão assustadora.

Preciso entender que você não é aquela pessoa que passou por aqui e deixou tudo bagunçado, virado de ponta cabeça e saiu sem dizer nada. Quero aprender a deixar para trás tudo isso que me faz mal, entender que você não é alguém do passado.

E dia após dia eu aprendo sobre você. É como sonhar com as estrelas. Você me tira do chão. Isso me dá medo. É tão bom.

riscando o amor

Quando é sincero, lá do fundo do coração, as coisas fluem, o peso deixa de existir, há prazer em dividir sua vida. O amor tem disso não é? Quando menos esperamos ele vem e nos mostra que ainda somos capazes de nos redescobrir das formas mais variadas possíveis. Não se trata do que o outro pode te oferecer, não se trata das imperfeições ou do quanto o outro consegue ser bom… se trata apenas de re-ci-pro-ci-da-de. Quando duas pessoas estão dispostas a se amar, não existe conjunção adversativa suficiente que importe tanto.

Não é que você precise de outrem para viver… é que você apenas QUER. Entende? Você simplesmente quer ela ao seu lado e faz de tudo para que ela esteja sempre ali, presente.

Talvez seja essa a melhor parte de amar… querer.

diz pra mim

É que eu não queria ser assim. Não queria ter que me livrar de várias inseguranças todos os dias. É que eu não quero ver você partir. Não quero ter que lidar com mais uma despedida. Aqui dentro de mim tudo parece tão bagunçado. Tudo parece variar tanto.

Seria o amor algo tangível, que eu pudesse realmente tocar, segurar firme e fazê-lo ficar aqui dentro? Volte aqui, me diga que é amor. Me diga que vai ficar, que vai me amar, que vai estar ao meu lado todos os dias… Me diga que nada disso é passageiro e estou liberto para entregar meu coração. Eu só queria que você estivesse aqui quando eu abrisse meus olhos.

Eu só queria que você ficasse aqui.

monodrama

Há quanto tempo não falo abertamente sobre mim por aqui não é?
A verdade é que minha vida tem se resumido em: faculdade. A rotina tem sido a mesma e meus dias têm se tornado cada vez mais corridos.
Se vocês pensam em ter uma vida social, não façam Arquitetura. Mas estou finalmente satisfeito com quase tudo que está acontecendo atualmente em minha vida. O que estudo a cada dia tem me preenchido de uma maneira que o curso anterior não conseguia.
Demorei muito tempo para decidir ir estudar o que eu realmente me identificasse e hoje vejo que foi a melhor decisão que pude tomar. Só me arrependo de não tê-la tomado antes. Mas sou a prova viva de que se nós fizermos o que gostamos, as coisas deixam de se tornar um fardo. Tudo fica mais natural.

Minha saúde mental vem tomando rumos diferentes. Ainda há muita coisa para se resolver e sinto que quase tudo foge do meu controle. Infelizmente a condição em que vivo contribui para tudo que sinto. Só vou apresentar real melhora no dia em que esses fatores externos mudarem. E isso depende de mim, mas ainda não chegou o tempo certo.
A melhor decisão que fiz ano passado foi ter começado a fazer terapia. Eu tinha muito receio por achar que terapia é coisa pra louco (?), mas sério, foi a melhor decisão que tomei. Esqueça tudo que falam para você, esqueça o que você acha ou o que o senso comum diz… Quando você gosta do(a) terapeuta, as coisas começam a fluir e você contar da sua vida começa a ser algo natural e edificante. O simples fato de você jogar para fora tudo aquilo que pesa dentro do seu coração, já faz uma diferença enorme. Acredite.

Bom, infelizmente meus planos de intercâmbio tiveram de ser colocados na geladeira novamente. Não vou mentir, me senti muito frustrado com tudo isso e realmente revoltado por eles terem dado errado. Mas o que mais eu posso fazer?
Perdi as contas de quantas semanas fiquei trancado no quarto insatisfeito com tudo e intrigado por ter visto vários planos meus fracassarem.
Mas isso ainda não morreu em mim. Estou planejando uma nova tentativa – dessa vez a longo prazo – e pretendo, de coração, fazer com que tudo isso dê certo.
Há coisas na vida que temos que simplesmente aceitar e usar as decepções como combustível para, um dia, alcançarmos o que queremos não é mesmo?

E meu coração? Bem… aceita um café?

deixa eu te amar

Deixa eu ficar ao seu lado, me faz merecedor do teu amor. Me torne parte de ti.

Vi em seus olhos a inocência e a astúcia, em seu sorriso a paz e a tempestade, em seus olhos as poesias mais profundas e as frases mais simplórias. Senti no gosto do seu beijo o céu e o inferno.

E ainda me sinto tão desaprendido ao seu lado. Como se ainda existisse uma infinidade de coisas a descobrir, viver, aprender e aceitar ao meu respeito.
Sinto em seu abraço a segurança de que tudo está finalmente se encaixando. Que estou finalmente vivendo a viagem que um dia vislumbrei.

Deixa… Deixa eu te amar? Deixa eu te mostrar que todos são diferentes de mim. Deixa eu fazer parte do seu sorriso, dos seus sonhos… Deixa eu reafirmar todos os dias que estás linda exatamente como é e não como gostaria de ser.

E eu não sei porque… mas algo me diz que de alguma forma, por mais louco que pareça…

 

a gente se pertence.

me leve daqui

Me leve daqui, para um lugar de calmaria, pra outro país, uma ilha.
Me leve para dentro de teu peito, onde eu esteja envolto de amor, de paz e do gosto do seu beijo.
Pode ser para qualquer lugar. Japão, Irlanda, Canadá… não importa. Desde que seja com você que eu vou estar.
Não consigo disfarçar esse nó na garganta, o mesmo amor que me quebranta é o mesmo que me agiganta.

Quero me sentir distante, num deserto, no Atlântico…
Te encharcar com meus beijos, te abraçar como num conto romântico
Não dá pra entender as coisas desse seu coração
Num dia diz que me ama, no outro diz não
Brinca, ri enquanto eu me entrego
Se for o preço para ter seu beijo, amacio seu ego

 

Eu escolho estar ao seu lado, nunca me esquecer de ti
E quando meu amor for tudo que você procura encontrar
Quando todo meu sentimento, minha presença te bastar
Saberei, valeu a pena esperar todo esse tempo, valeu ficar aqui, esperando você voltar.

tempo que cura (?)

Engraçado como as coisas da vida vão tomando seus rumos. Hoje tudo funciona de uma certa maneira, você se comporta de certa forma; e de repente você se percebe sendo outra pessoa, com novos sonhos, vontades e medos.
A melhor parte do tempo é que ele é capaz de levar embora consigo toda dor que um dia machucou tanto. Parece que hoje, muitas coisas já não doem mais como doíam antes.

Mas por algum motivo esse tempo tem demorado chegar em alguns aspectos para mim. Muitas coisas que eu acreditava estarem enterradas, até então, hoje doem e eu não consigo entender o quanto ainda terei que aprender com isso.

Para ser bem franco, tudo que aconteceu há um certo tempo ainda está latente e parece que vez ou outra me pego revivendo e desacreditando em como eu me permiti viver tudo aquilo e abrir mão dela. Bom, acho que tudo aconteceu de uma forma que ao mesmo tempo que me machucou, acabou me fortalecendo para que eu aprendesse a encontrar forças dentro de mim e em não colocar toda a minha segurança em outrem. Por vezes me sinto incomodado com toda essa solidão em que eu mesmo me coloquei. Tudo isso é culpa minha…

Eu só espero que esse vento da vida me leve para um lugar mais calmo e sossegado, onde eu consiga me abrigar de toda essa minha insegurança, onde eu me encontre e esteja, finalmente, finalmente livre.

***

Definitivamente enfrentar meus medos e infelicidades não é tão fácil quanto aquele garoto de 10 anos achava que era. Hoje eu só queria estar na van escolar, chegando da escola… Ah 2013! Ainda quero escrever sobre você.